domingo, 19 de abril de 2009

Five a Day - OMS/FAO

Porque é que se fala sempre na importância da ingestão regular de frutas e legumes?
Quantas peças devemos comer por dia?

Aqui vai uma breve resposta segundo a OMS e a FAO

Baixo consumo de frutas e verduras aumenta o risco de cardiopatias, alguns tipos de cancro e de obesidade


A 9 DE NOVEMBRO DE 2002 – A Organização Mundial da Saúde (OMS) e Organização das Nações Unidas para e Agricultura e Alimentação (FAO) anunciavam uma estratégia integrada para promover um maior consumo de frutas e verduras.


Estima-se que o baixo consumo de frutas e verduras fosse a causa de cerca de 2,7 milhões de mortes por ano e está entre os 10 maiores factores de risco que contribuem para a mortalidade, segundo o World Health Report 2002. O anúncio foi feito no Rio de Janeiro, Brasil, durante a reunião anual do Fórum Global da OMS sobre Prevenção e Controle de Doenças Não Transmissíveis.

“Há uma forte e crescente evidência de que um consumo suficiente de frutas e verduras ajuda a prevenir muitas doenças e promove a boa saúde, mas uma grande parte da população mundial consome muito pouco,”
Segundo Kraisid Tontisirin, Diretor da Divisão de Alimentos e Nutrição da FAO, “a FAO enfrenta o desafio de aumentar em todo o mundo a consciencialização acerca dos benefícios de um maior consumo de frutas e verduras. Para promover efectivamente um maior consumo de frutas e verduras, é preciso avaliar de maneira mais sistemática a alimentação prevalecente no tocante às implicações para a nutrição e a saúde.”

As doenças não transmissíveis (DNT) são responsáveis por quase 60% das mortes em todo o mundo e 45% da morbilidade global. A alimentação inadequada, juntamente com a inactividade física e o tabaco, estão entre os principais factores de risco preveníveis de DNT. Um consumo diário suficiente de frutas e verduras pode ajudar a prevenir DNT como doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, obesidade e certos tipos de cancro.

O esforço conjunto de promoção do consumo de frutas e verduras tem sido desenvolvido no âmbito da Estratégia Global sobre Alimentação, Actividade Física e Saúde.


Nesse esforço participam também em estreita colaboração outros parceiros globais, inclusive organizações nacionais que promovem o consumo de frutas e verduras (como a inicitativa “5-a-day” – UK).


O relatório “Consulta Conjunta de Especialistas da OMS/FAO sobre Alimentação, Nutrição e Prevenção de Doenças Crónicas” recomenda o consumo mínimo de 400g de frutas e verduras por dia (excluindo batatas e outros tubérculos) para a prevenção de doenças crónicas como as doenças cardiovasculares, cancro, diabetes tipo 2 e obesidade.

Segundo as duas organizações, o consumo de uma ampla variedade de frutas e verduras assegura uma dose adequada da maioria dos micronutrientes, fibras e outras substâncias essenciais. O aumento do consumo de frutas e verduras também pode substituir o consumo excessivo de alimentos que contêm muita gordura saturada, açúcar e sal.

Contudo, as informações do banco de dados da FAO indicam que o stock total de frutas e verduras disponível está bem abaixo do consumo mínimo em muitos países, especialmente na Ásia, África e Europa Central e Oriental.

“Apesar dos países em vias de desenvolvimento produzirem grande parte de stock mundial de frutas e verduras, e de serem boas as possibilidades de aumentar a produção nesses países, muitos de seus habitantes não ingerem uma quantidade suficiente. O consumo em geral também é baixo entre os grupos socioeconómicos mais pobres dos países desenvolvidos,” disse o Dr. Puska.
Estima-se que o baixo consumo de frutas e verduras cause cerca de 31% das isquémias cardíacas e 11% dos acidentes cardiovasculares em todo o mundo. A Agência Internacional de Pesquisa sobre Cancro (IARC) da OMS estima que a proporção de cancro prevenível devido ao baixo consumo de frutas e verduras é de 5-12% para todos os casos de cancro e entre 20-30% nos casos de cancro gastrointestinal.

A estratégia conjunta de promoção do consumo de frutas e verduras tem quatro objectivos específicos:
  • Aumentar a consciencialização geral acerca da função das frutas e verduras na prevenção de DNT;

  • Aumentar o consumo de frutas e verduras mediante acções essenciais nas áreas de saúde pública e agricultura;

  • Incentivar e apoiar o desenvolvimento e implantação de programas nacionais de promoção do consumo de frutas e verduras que sejam sustentáveis e envolvam todos os sectores;

  • Apoiar a pesquisa em áreas pertinentes e desenvolver os recursos humanos necessários para elaborar e implantar programas de promoção do consumo de frutas e verduras.


Será que estamos no bom caminho?


1 comentário:

r4f disse...

Excelente! Parabéns!

Comer fruta ou ingerir um dos novos Compal Essencial ou Compal/Sumol Smoothies?

Cumprimentos
Run 4 Fun